MSNoticias

Conhecimento emocional contribuí para resultados positivos na vida pessoal e no trabalho, afirma servidor

Você sabe lidar com suas emoções? Ou sofre com a falta de controle das mesmas? É sobre este assunto que o trainer de desenvolvimento pessoal e servidor do Detran Luiz Karon

Você sabe lidar com suas emoções? Ou sofre com a falta de controle das mesmas? É sobre este assunto que o trainer de desenvolvimento pessoal e servidor do Detran Luiz Karon, conversou com o Portal do Servidor nesta segunda-feira. O conhecimento emocional contribui com o rendimento dos servidores públicos, entre outros aspectos.

Tal forma didática, que depende unicamente da pessoa que a exerce, despertou a atenção de Luiz. Foi realizando diversas formações na área de desenvolvimento pessoal e fazendo os treinamentos de autodesenvolvimento junto ao Governo do Estado de Mato Grosso do Sul, além das práticas rotineiras, que a qualidade de vida, tranquilidade mental, saúde corporal e paz espiritual, foram alcançadas.

“Antes de ser servidor eu já possuía o hábito de leitura, e por meio do conhecimento dos livros aprendi diversas formas de me autoconhecer, controlar minhas emoções, desenvolver a força de vontade, disciplina, foco, comunicação assertiva, relacionamentos, entre outros. Isso tudo, sempre impactou diretamente na qualidade dos serviços prestados a sociedade por meio do meu cargo. Todos esses conhecimentos também fortaleceram meus relacionamentos dentro e fora da instituição”, explica o trainer.

Para entender o controle emocional, o servidor apresenta algumas visões diferentes a respeito, sendo elas: científica/psicologia, filosófica e programação neurolinguística. As teorias se fundem uma na outra, trazendo o resultado esperado, a compreensão das forças que praticamente todo ser humano possui dentro de si, as chamadas emoções.

Segundo os Pesquisadores e Doutores em Psicologia Americanos Mayer e Salovey, o campo da psicologia é responsável por despertar no indivíduo uma percepção acurada das emoções, além do uso das emoções para facilitar o pensamento e da compreensão destas. Luiz exemplifica dizendo que, “observando os conceitos acima, o servidor público que busca desenvolver o controle emocional, poderá melhorar consideravelmente seus relacionamentos “intra” e “inter” pessoal, produtividade, entre outros benefícios”.

Na área da filosofia, o conceito aristotélico da justa medida emocional é defendido pelo servidor, onde é colocado em contato emoções e virtudes de modo favorável à boa vida. O equilíbrio entre o excesso e a falta se torna essencial no processo de controle.

“As emoções, mesmo por sua relação com o desejo, sempre estão relacionadas a prazeres ou dores. E, sendo que o agradável e o doloroso acompanham o homem e suas emoções desde a infância, é difícil “conter essas paixões” que estão enraizadas na vida humana. Mas, como tal ‘contenção’ se faz necessária à virtude”, afirma Luiz.

Como terceira visão, a neurolinguística indica que a utilização da linguagem também é agente de mudança. Esta programação foi criada por Richard Blandler e John Grinder nos anos 70.

Emoção dolorosa

Em casos de emoções dolorosas, o trainer disponibiliza seis passos para romper os padrões limitadores, a fim de que no futuro possa extrair a lição da emoção, e eliminar a dor com maior rapidez. Identifique o que você realmente sente (passo 01); reconheça e aprecie suas emoções sabendo que o apoiam (passo 02); seja curioso sobre a mensagem que a emoção está lhe oferecendo (passo 03); seja confiante de que poderá controlar a emoção imediatamente (passo 04); tenha certeza de que poder controlar não apenas hoje, mas também no futuro (passo 05); e fique animado, e entre em ação (passo 06).

Davi Nunes Souza, SAD

Foto: arquivo pessoal (tirada antes da pandemia)

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo