BrasilNoticias

Lava Jato do Rio denuncia falso esquema de proteção para doleiros

Os envolvidos vão responder por exploração de prestígio qualificada

A força-tarefa da Lava Jato do Ministério Público Federal (MPF) no Rio de Janeiro denunciou três envolvidos em venda de um falso esquema de proteção para os doleiros Dario Messer e Marco Antônio Cursini. Três advogados e um empresário vão responder por exploração de prestígio qualificada, tráfico de influência qualificado e associação criminosa.

De acordo com o MPF, entre setembro de 2006 e março de 2013, dois advogados receberam da organização criminosa liderada por Messer o valor de US$ 50 mil mensais, sob o pretexto de pagar agentes públicos para impedir investigações do MPF e da Polícia Federal. Os valores eram remetidos de forma ilegal para uma conta na Suiça, em nome da empresa offshore Big Pluto Universal. Foram recebidos nesse esquema um total de US$ 3,9 milhões.

Os dois advogados também foram denunciados por lavagem de ativos, juntamente com Messer e Cursini. Segundo a investigação do MPF, Cursini era responsável pelas operações dólar cabo que enviavam os valores, recebidos em espécie, para o exterior. Os procuradores da Lava Jato identificaram 35 atos de lavagem de dinheiro por remessa dos valores ilícitos ao exterior, entre 2008 e 2012.

A acusação aponta também que os advogados cobraram de Cursini o valor de US$ 400 mil, em 2010, para supostamente pagar agentes públicos que impedissem a convocação do doleiro para depor em uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI). Este valor, novamente, permaneceu na conta suíça dos denunciados.

De acordo com o MPF, em 2016, quando ocorreram mudanças na legislação internacional e na conformidade dos bancos suíços, Cursini fez oito operações dólar cabo invertido, para trazer ao Brasil de forma ilícita valores que somaram US$ 3.527.172,52.

*matéria atualizada às 15h22 

Edição: Valéria Aguiar

Por Da Agência Brasil – Rio de Janeiro
Atualizado em 18/12/2020 – 15:25

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo