MSNoticias

Na campanha Dezembro Vermelho, internas da Capital recebem conscientização sobre combate à Aids

O mês iniciou repleto de informações sobre saúde para as reeducandas do Estabelecimento Penal Feminino “Irmã Irma Zorzi” (EPFIIZ)

O mês iniciou repleto de informações sobre saúde para as reeducandas do Estabelecimento Penal Feminino “Irmã Irma Zorzi” (EPFIIZ), na Capital. Abrindo as ações da campanha mundial Dezembro Vermelho, uma Live especial sobre a conscientização e combate à Aids foi ministrada por especialistas, além de abordar também sobre a Tuberculose. A inciativa tem como objetivo reforçar a solidariedade, a tolerância e sensibilização sobre a questão.

A videoconferência foi desenvolvida pela Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen), por meio da Divisão de Saúde Prisional e a direção do presídio, apresentada no auditório da unidade prisional.

Durante a Live, o enfermeiro Everton explicou sobre ISTs, formas de prevenção e tratamento.

O encontro contou com a participação do enfermeiro e doutor em Doenças Infecciosas e Parasitárias, Everton Ferreira Lemos, que abordou o tema Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs). “Geralmente se manifestam em forma de feridas, corrimentos, bolhas ou verrugas; mudou-se o termo de doenças para infecções, porque nem todas apresentam sintomas, como é o caso do HIV/Aids”, afirmou.

Everton explicou, ainda, que uma das grandes preocupações está relacionada ao comportamento sexual. Conforme dados divulgados em pesquisa nacional, a mulher pensa mais na prevenção que os homens, e a incidência da Aids tem sido maior em jovens de 15 a 24 anos. “Nos últimos 10 anos o perfil tem modificado, com a redução de casos entre mulheres e subiu entre homens: enquanto 22 casos incidem em homens, apenas 10 são em mulheres”, informou, ressaltando que o diagnóstico precoce é importante e o tratamento é mais eficaz.

A chefe da Divisão de Assistência à Saúde Prisional da Agepen, Maria de Lourdes Delgado Alves, destacou que a Live significa um ato de amor, por ser voltada à saúde e bem-estar de todos. “É um momento de reflexão, conscientização, compartilhamento de informações sobre prevenção e tratamento, e isso demonstra responsabilidade e amor com as pessoas”, parabenizou as participantes e todos os envolvidos.

“Prisões Livres de Tuberculose”

A videoconferência também contou com a participação da apoiadora regional do projeto “Prisões Livres de Tuberculose”, do Depen, Natália Trindade, que abordou o tema com as reeducandas, ressaltando a importância da conscientização sobre prevenção e tratamento da doença.

O diretor-presidente da Agepen, Aud de Oliveira Chaves, parabenizou a iniciativa por abordar outro tema importante como o combate à Aids. “Importante enfatizar que, ainda que não exista vacina contra esse vírus, o tratamento tem evoluído muito, com medicamentos eficazes, dentro e fora dos presídios. Essa troca de informações é de suma importância para conscientizar as reeducandos, sanar dúvidas e oferecer atendimento especializado”,

A ação foi organizada pelo setor Psicossocial e Educacional do EPFIIZ. Também participou do encontro a diretora da unidade penal, Mari Jane Boleti Carrilho.

Ao todo, 23 internas participaram do encontro e receberam um kit de maquiagem e canecas do projeto “Prisões Livres de Tuberculose”. As participantes foram orientadas para divulgarem as informações da palestra com as demais internas dos alojamentos.

A Live foi realizada no dia 1º de dezembro, considerado o Dia Mundial de Luta Contra a Aids. A data foi estabelecida internacionalmente em 1987 por decisão da Assembleia Mundial de Saúde com apoio da Organização das Nações Unidas (ONU). No Brasil, o Ministério da Saúde adotou a data um ano depois. E o laço vermelho é visto como símbolo de solidariedade e de comprometimento na luta contra a doença.

Tatyane Santinoni, Agepen

Fotos: Divulgação

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo