Esportes

Equipe Bragantino está classificada para competir a Copa Sul – Americana


A longa temporada 2020 está chegando ao fim. Foi uma jornada difícil pra todos, mas não há como negar que a travessia foi boa pro Red Bull Bragantino. Os jogadores e comissão técnica já estão prontos para tirar o passaporte da gaveta. Porque sim, o Massa Bruta vai sair da fronteira do Brasil neste ano.
Com os 49 pontos que atingiu depois da 36ª rodada, a equipe está classificada para a Copa Sul-Americana. Com isso, o Braga vai disputar um torneio internacional pela terceira na sua história, a primeira depois de uma espera de 25 anos.
Red Bull Bragantino
ARI FERREIRA / RED BULL BRAGANTINO
De 1992 a 1996, o Bragantino jogou três vezes a Copa Conmebol, equivalente ao que é hoje a Sul-Americana. Em duas delas, não foi além da primeira fase. Mas na última, fez história ao golear o melhor do Brasil naquele momento. E por apenas um gol não teve a chance de beliscar uma vaga nas semifinais.

1992

A saga pela América do Sul começou em 1992, em confronto eliminatório contra o Grêmio. Valia vaga nas quartas. Foram dois empates, 2 a 2 em Bragança e 1 a 1 em Porto Alegre. Sem o critério de gols fora de casa, a decisão foi para os pênaltis, e o Tricolor levou a melhor: 7 a 6.
“De todas as equipes do Bragantino que foram pra Copa Conmebol, a de 92 era a mais forte tecnicamente. Tínhamos a base vencedora de 1990”, lembra o ex-zagueiro Júnior, que esteve nas três edições disputadas pelo Braga.

1993

O Bragantino conseguiu novamente vaga na Conmebol depois de ficar em quarto lugar no Campeonato Brasileiro de 1992 – foi o melhor time paulista. A campanha, dessa vez, foi frustrante: duas derrotas para o Botafogo, então vice-campeão nacional, em jogos com muitos gols: 3 a 1 no Rio, e 3 a 2 em Bragança Paulista.

1996

O Braga voltou à Copa Conmebol depois de ficar em quarto no Brasileiro do ano anterior. Mas o sorteio não ajudou: o adversário seria o Palmeiras, time poderoso e cheio de estrelas comandado por Vanderlei Luxemburgo e que fora campeão paulista meses antes com 102 gols marcados, média de 3,4 por partida. Mas aí, junto com o Bragantino, entreou em campo o imprevisível. No jogo de ida, em casa, o Braga goleou por 5 a 1. É isso mesmo que você leu: 5 a 1 (veja abaixo os gols).
“Pra falar a verdade, a gente esperava sair com um empate de Bragança. Aquele time do Palmeiras era brincadeira, só tinha craque. Depois que fizemos o primeiro gol, vimos que dava pra fazer mais. O jogo deles não encaixou. Foi inacreditável”, lembra Biro-Biro, lateral esquerdo do Bragantino naquele jogo.
Na volta, o Palmeiras venceu por 3 a 0 e o Braga passou às quartas de final. O adversário era o Santa Fé, da Colômbia. Pela primeira vez, o time enfrentaria uma equipe de fora do país em um torneio oficial internacional. Depois de um empate por 0 a 0 no Marcelo Stefani, o Massa Bruta perdeu por 1 a 0 na Colômbia e foi eliminado. “Tivemos chances de vencer em casa, mas eles se defenderam bem. Na volta, sentimos muito a altitude [Bogotá fica a 2,6 mil metros de altitude] e não conseguimos segurar a pressão”, conta Biro-Biro.

2021

O tempo passou, a Copa Conmebol deu lugar em 1998 à Copa Mercosul, que saiu de cena em 2002 para a estreia da Copa Sul-Americana. Agora, o Bragantino prepara as asas para mais um voo sul-americano. Voltará com o troféu? “É uma oportunidade que o clube tem que abraçar. O Defensa y Justicia, que é um time que não tem tradição em torneios continentais, ganhou nesse ano, então porque o Bragantino não pode sonhar?”, questiona Júnior.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo