Polícia

PMA de Aquidauana que trabalhava na operação Prolepse de prevenção a incêndios autua empresário campo-grandense em R$ 50 mil por desmatamento de vegetação protegida por lei


PMA de Aquidauana que trabalhava na operação prolepse de prevenção a incêndios autua empresário campo-grandense em R$ 50 mil por desmatamento de vegetação protegida por lei

Campo Grande (MS) – Policiais Militares Ambientais de Aquidauana realizavam trabalhos preventivos informativos por meio de panfletagem e de Educação Ambiental em prevenção aos incêndios nas propriedades rurais do município na operação Prolepse e, depois de visitarem diversas propriedades rurais ontem (23), encontraram em uma fazenda, localizada no distrito de Piraputanga, um desmatamento ilegal em área de vegetação protegida por lei.

Os policiais localizaram o desmatamento de 10 hectares, medidos com uso de GPS, em uma área de encosta de morro acima de 45º, que se trata de área de preservação permanente (APP) protegida pelo Código Florestal (Lei Federal nº 12.651/2021). Toda a área desmatada possuía alta declividade e estava localizada nas encostas da Serra de Maracaju. Foi utilizado drone para a caracterização da área degradada. A madeira produto da vegetação encontrava-se em leiras no local e um dos amontoados de vegetação estava sendo queimado também sem a licença ambiental.

Desmatamento na área de morro.

As atividades foram interditadas. O infrator (58), um empresário, residente em Campo Grande, foi autuado administrativamente e foi multado em R$ 50.000,00, multa agravada pela área ser protegida por lei. Ele também responderá por crime ambiental com pena de um a três anos de detenção. O infrator foi notificado a apresentar um Plano de Recuperação da Área Degradada e Alterada (PRADA) junto ao órgão ambiental estadual.

ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO DA POLÍCIA MILITAR AMBIENTAL – PMMS – (Contato – TENENTE CORONEL EDNILSON PAULINO QUEIROZ) tel. – 3357-1500

Publicado por: Ednilson Paulino Queiroz

Fonte: PM MS

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo