InternacionalNoticiasSem categoria

Libertados leme e hélice de navio encalhado no Canal do Suez

Equipes de resgate conseguiram libertar o leme e as hélices do navio encalhado há cinco dias no Canal do Suez, segundo uma das empresas que operam no canal, e que continua a dragagem de areias para libertar o casco.

Depois de mais uma tentativa falha, esta noite, para rebocar o navio porta-contentores, aproveitando a maré alta, “esta manhã foi noticiado que o leme e as hélices foram libertados”, anunciou na sua página da Internet a empresa de serviços marítimos Gulf Agency Company (GAC), sediada no Dubai e que opera no canal.

No entanto, o GAC, citando a Autoridade do Canal de Suez, garantiu que “a proa do navio ainda está afundada na margem do canal”, mas adianta que houve um “ligeiro movimento lateral”.

Por sua vez, a Autoridade do Canal do Suez, chefiada por Osama Rabie, emitiu um comunicado referindo os avanços e assinalando terem sido já dragados 27 mil metros cúbicos de areia da parte da costa onde está encalhada a proa do navio, atingindo uma profundidade de 18 metros.

Osama Rabie adiantou também que os trabalhos , para descarregar o navio Ever Giben, vão continuar 24 horas por dia e que “o trabalho de dragagem será realizado durante o dia e as manobras de tração do Ever Giben, pelos rebocadores, em horários compatíveis com as marés”.

Ainda segundo este responsável, participam 12 rebocadores na operação, para retirar o gigante navio, com 400 metros de comprimento (quatro campos de futebol) e capacidade de carga de 224 mil toneladas, prevendo a chegada de mais dois rebocadores para ajudar nos trabalhos.

Tanto a GAC quanto a Leth Agencies, outra empresa especializada em serviços logísticos em canais e estreitos, garantiram que, cerca das 16:00 locais (14:00 GMT) foi planeada uma nova tentativa de movimentar o navio com os rebocadores, coincidindo com a subida da maré.

Enquanto isso, navios continuam a juntar-se nas duas entradas do canal, tanto no Mar Vermelho quanto no Mediterrâneo, aguardando o desbloqueio e, embora alguns, os maiores e que têm maiores depósitos de combustível, tenham desviado rota para contornar África, revelou a Leth Agencies, adiantando que esta manhã era já 327 navios.

Destes navios em espera, 134 estavam no porto Said, no Mediterrâneo, 151 no Suez, no Mar Vermelho, e 42 num grande lago na metade do canal.

Na sexta-feira, a Autoridade do Canal de Suez informou que as obras de desbloqueio do Ever Given avançaram 87%, embora sábado, numa entrevista, Osama Rabie admitisse não poder estimar quando a passagem pelo canal será desbloqueada.

O navio, do tamanho de um arranha-céus, na noite de terça para quarta-feira, atravessou-se no Canal do Suez, no Egito, segundo as primeiras investigações devido a fortes ventos e a uma tempestade de areia, bloqueando a passagem de 10% do comércio mundial e de 25% dos contentores de carga.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo