Turismo

Staycation: conheça a nova tendência de turismo em alta na pandemia


source
Hoteis estão incrementando sua cartela de serviços para receber moradores da cidade durante a pandemia, e não apenas viajantes
Divulgação/Summerville All Inclusive Resort

Hoteis estão incrementando sua cartela de serviços para receber moradores da cidade durante a pandemia, e não apenas viajantes

A população mundial vem tentando se adaptar a uma nova forma de viver a vida durante a pandemia da Covid-19 . Cada vez mais isoladas em casa,  as famílias vêm buscando maneiras  de sair um pouco da rotina doméstica quase compulsória. É nesse contexto que o staycation, termo que surgiu há alguns anos, se fortaleceu como uma grande tendência do turismo: aproveitar os passeios e equipamentos turísticos da própria cidade em que se vive, arriscando-se e gastando menos que em viagens com grandes deslocamentos . O coronavírus chegou ao Brasil, há pouco mais de um ano, trazendo com ele (ou tornando mais comuns) muitos termos estrangeiros que tentam dar conta das rápidas mudanças sociais a que assistimos: take away, lockdown, day use, home office, delivery, all inclusive, entre outros, e o staycation é mais uma dessas expressões. Relacionada ao turismo, a palavra sugere que a população desfrute de opções de lazer que possui na cidade em que vive ao invés de viajar para longe.

De acordo com o turismólogo e professor universitário João Paulo da Silva, a definição da palavra staycation é polêmica já que sugere que é possível fazer turismo sem viajar. “Tecnicamente, esse conceito não é adequado, de que o morador pode fazer turismo na sua própria cidade. Mas o termo se popularizou muito nos últimos anos e tem incentivado cada vez mais as pessoas a desbravarem o que elas têm perto delas, as opções de lazer e de entretenimento que antes elas não conheciam em suas cidades”, explica. No início da pandemia, o Ministério do Turismo apontava em seu site oficial que o turismo regional e outras modalidades, como o turismo rural , seriam as principais tendências para a retomada do setor. Isso porque poder viajar no próprio carro e evitar aglomerações se tornaram critérios importantes para o turista durante o planejamento de uma viagem. Contudo, com o agravamento da situação de saúde do Brasil em 2021, é o staycation que, aos poucos, vem assumindo o posto de grande tendência do momento, por ser algo ainda mais restrito, econômico e seguro. “Muitas pessoas têm medo de viajar para longe neste momento. Além disso, essa modalidade garante uma maior flexibilização financeira porque, ao fazer ‘turismo na própria cidade’ –  falo isso entre aspas –, é possível economizar com vários itens como passagens aéreas ou terrestres e também com hospedagens e pernoites. Isso acaba sendo uma boa alternativa em um período de crise econômica e de alta do dólar”, afirma o turismólogo. “É bacana porque você acaba sendo apresentado a um universo de possibilidades que não tinha acesso antes, por uma série de razões, falta de interesse ou de oportunidade. É uma valorização da cidade, da história e dos atrativos dela. Reforça o sentimento de pertencimento das pessoas ao lugar que elas moram”, completa Silva sobre os benefícios sociais dessa nova tendência.

O turismólogo João Paulo da Silva afirma que o staycation é benéfico para a economia local e que pode ser seguro durante a pandemia
Reprodução

O turismólogo João Paulo da Silva afirma que o staycation é benéfico para a economia local e que pode ser seguro durante a pandemia

Desde que o turista tome todos os cuidados necessários, seguindo os protocolos sanitários – com o uso de máscara, o distanciamento de pessoas com quem não há convívio numa mesma casa, a higienização das mãos constantes, com água e sabão ou álcool – a modalidade pode ser segura durante a pandemia. Para isso, durante o planejamento da viagem, é importante buscar espaços que também estejam respeitando os protocolos de segurança. Se vai se hospedar por um fim de semana em algum hotel ou apenas usufruir de um dia [day use], o turista deve verificar se o estabelecimento está sendo cuidadoso com as normas vigentes da pandemia. Além disso, é importante também estar atento aos decretos municipais, estaduais e federais de controle das atividades financeiras que estão em vigor no momento que se pretende viajar. Além da segurança para o turista, o staycation é importante por mobilizar quantias que iriam para empresas e destinos de fora para movimentar a economia local. Segundo Silva, o mercado está atento a essa demanda da população e, por isso, já existem pacotes turísticos específicos para habitantes de sua cidade, agências de turismo, hotéis, pousadas, resorts têm oferecido opções para a população local, muito comumente com descontos especiais ou vantagens. “O mercado está conseguindo se moldar para atender as necessidades do consumidor”, afirma. De olho nessa procura, os hotéis localizados em grandes cidades estão investindo em novos serviços para chamar atenção desse público. A Rede Pontes Hotéis & Resorts, em Pernambuco, é uma das que vem criando alternativas para o público de seus empreendimentos. “Existe uma substituição dos hóspedes, já que antes da pandemia o público local era menor. O momento agora é outro. Parte dos hóspedes que vinham de fora, foram substituídos pela população do Recife e região metropolitana”, conta Carolina de Aguiar, gestora executiva da rede. Um dos hotéis da rede tornou-se pet friendly para atender a demanda de famílias que desejavam fazer programações rápidas, mas em conjunto. Pets pequenos, de até 8 kg, passaram a ser permitidos nas dependência do empreendimento, mediante solicitação prévia. Em outro hotel da mesma rede, foi iniciada uma campanha de desconto para hóspedes na consumação do restaurante, que funciona de terça-feira a sábado para todo o público. Os três hotéis dessa rede, estão trabalhando com capacidade reduzida e reorganizaram as áreas de convivência, onde o uso de máscaras e o distanciamento entre os hóspedes tornaram-se obrigatórios. Álcool é disponibilizado em diversas partes e a temperatura dos hóspedes é aferida, entre outras medidas de segurança. “Não estamos medindo esforços para dar tranquilidade aos nossos públicos neste novo momento”, afirma a executiva.

Entre as adaptações feitas pelo hotel Atlante Plaza, pets passaram a serem aceitos nas dependências
Divulgação/Atlante Plaza

Entre as adaptações feitas pelo hotel Atlante Plaza, pets passaram a serem aceitos nas dependências

Apesar de haver muitos empreendimentos oferecendo novos serviços relacionados ao staycation, o turismólogo João Paulo da Silva explica que qualquer pessoa pode fazer esse tipo de “viagem” em sua cidade, mesmo que de forma independente. “Com as facilidades de tecnologia e comunicação que existem hoje é muito mais fácil desbravar a sua própria cidade. Existem plataformas digitais, aplicativos, sites que dão dicas de roteiros e opções de lazer na cidade, tudo para que o turista monte o seu o próprio roteiro entrando em contato diretamente com esses equipamentos, para saber como funcionam e se seguem os protocolos de segurança. Contratando uma agência ou um hotel acaba-se tendo um pouco mais de comodidade, mas é totalmente possível e simples montar a sua experiência por conta própria”, explica o professor. Dentre as opções de staycation, o turista pode encontrar programas e passeios de turismo criativo – outra modalidade de viagem, que valoriza opções alternativas de uma cidade, fora dos circuitos turísticos tradicionais – como passeios de bicicleta e de barco, roteiros afetivos e culturais que podem revelar uma “outra cidade”, até então desconhecida.

Passeios em pontos até então desconhecidos pelos habitantes da cidade podem ser classificados como staycation, mas também como turismo criativo.
Banco de Imagens/Pexels

Passeios em pontos até então desconhecidos pelos habitantes da cidade podem ser classificados como staycation, mas também como turismo criativo.

Planejamento mesmo para quem não vai viajar O turismólogo também elenca detalhes para um bom planejamento de staycation. Para ele, não é porque o turista não vai viajar, e ficar próximo de casa, que ele deve abdicar de um programa bem feito, ainda mais durante a pandemia, quando poucas coisas podem sair do roteiro, pela segurança de todos. “O primeiro passo para se programar para um tour em sua cidade é fazer um planejamento. Nele, é importante traçar o roteiro, conferir os equipamentos que vai visitar ou contratar, o hotel em que vai ficar hospedado, conferir se está obedecendo os protocolos de segurança e seguindo as normas de distanciamento, se realmente oferecem segurança no serviço. É importante também verificar os decretos e legislações vigentes. Já sobre o tipo de experiência vai depender do que a família quer, passar final de semana em um resort de luxo da cidade – que já vai ter um custo menor do que teria em outra cidade ou país – fazer um ‘ bate-volta’  de um dia, passeios com roteiros locais, entre outros”.

Fonte: IG Turismo

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo