Câmara Municipal

Câmara debate com profissionais sobre atividade física como essencial para promoção à saúde

A importância da atividade física em meio à pandemia, que já dura mais de um ano, foi o tema debatido durante live promovida pela Câmara Municipal de Campo Grande na manhã desta quarta-feira (14). Vereadores e o presidente do Conselho Regional de Educação Física de Mato Grosso do Sul da 11ª Região (Cref11), Joacyr Junior, ressaltaram como a prática de exercícios pode ajudar na prevenção e recuperação da Covid-19, além de auxiliar a evitar comorbidades, como diabetes, hipertensão e obesidade.

Profissional da área de Educação Física, o vereador Professor Riverton destacou que “a atividade física pode funcionar como prevenção e recuperação da Covid, auxiliando ainda o organismo a ficar mais fortalecido”. Ele relembrou que, além do coronavírus, a prática pode ajudar a salvar vidas, pois reduz casos de diabetes, hipertensão e até mesmo auxilia no combate à depressão. “Nós somos reconhecidos pelo Conselho Nacional de Saúde como profissionais da saúde, mais um motivo atuar na linha de frente da covid e na recuperação. Quando fechamos os espaços, passamos a ir na contramão”, destacou.

O vereador afirmou que tramita na Casa de Leis o Projeto de Lei 9995/21, do qual é autor juntamente com os vereadores Papy e Edu Miranda, reconhecendo “a prática da atividade física e do exercício físico como essenciais à saúde da população campo-grandense, mesmo em tempos de crise ocasionadas por moléstias contagiosas ou catástrofes naturais”.

Atualmente, Mato Grosso do Sul conta com 732 academias ativas, sendo 356 em Campo Grande. São ainda 134 estúdios no Estado, 54 deles na Capital. O Conselho conta ainda com 7835 profissionais habilitados, 4.065 deles de Campo Grande. “É um número relevante de trabalhadores que movimenta a economia, mas, mais que isso, promove a saúde, pois movimenta, literalmente, a população”, disse Joacyr Junior. O presidente destacou a necessidade de leis e decretos para que o setor seja visto como essencial, considerando a atividade fim de promoção da saúde. “O poder público tem que olhar para o setor  como uma poderosa ferramenta para diminuir contágio e aumentar imunidade das pessoas”, disse, salientando ainda outras medidas aliadas à prática de atividades físicas, como alimentação saudável, sono e psicológico.

Ele ressaltou que as academias estão preparadas, seguindo com rigor os protocolos e trabalhando com agendamentos. Ainda no ano passado foi elaborado plano de biossegurança, com apoio do Sebrae e de infectologista que foi bastante rigorosa em relação a cada setor, dada a diversidade das atividades. “Nossas empresas estão cumprindo rigorosamente os protocolos”, garantiu. Outro ponto enfatizado pelo presidente do Conselho foi a importância de que as atividades sejam prescritas por profissionais habilitados, depois de laudo médico e de avaliação para prescrição correta dos exercícios. “A atividade física bem prescrita vai fazer com que a pessoa tenha qualidade de vida mais adequada”, destacou.

O vereador Sandro Benites, presidente da Comissão de Saúde da Câmara e que coordena as lives às quartas-feiras, apresentou dados de uma cardiologista sobre o Hospital Regional, mostrando a obesidade como grande fator de risco. Ele lembrou ainda as doenças cardiovasculares como grande causa de mortes e questionou sobre os exercícios que podem ser feitos sem sair de casa. O presidente do Conselho ressaltou que é possível praticar exercício em casa, desde que haja prescrição de profissional da saúde. Destacou ainda as aulas oferecidas pela Fundação Municipal de Esportes (Funesp), usando materiais que a pessoa tem em casa, como cadeira ou cabo de vassoura. Para saber mais acesse: http://www.campogrande.ms.gov.br/funesp/ 

Dados – O vereador Victor Rocha, vice-presidente da Comissão de Saúde, também falou sobre o papel fundamental dos profissionais de educação física na recuperação dos pacientes que tiveram covid, além de ressaltar a disposição da Casa de Leis para auxiliar com projetos de leis e iniciativas para a categoria.

Ele repassou, no início da live, dados sobre a Covid-19. Atualmente, são 90.025 casos confirmados em Campo Grande e 2.154 óbitos. Há ainda 543 pacientes internados, sendo 253 em leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva), 282 em leitos clínicos e 8 em PAM (Pronto Atendimento Médico). Foram solicitadas à prefeitura informações sobre as internações separadamente por hospitais.

O vereador Otavio Trad, presidente da Comissão de Legislação e Justiça, passou as informações sobre os decretos vigentes, relembrando que parques e praças foram reabertos, auxiliando na prática de atividades físicas. Campo Grande retornou hoje à bandeira cinza, considerado pior nível de risco para a doença. Com isso, seguindo o decreto estadual, o toque de recolher deve passar a ser das 20h às 5h.

Lives – Os debates são realizados todas as quartas-feiras pela Comissão de Saúde, composta pelo vereador Dr. Sandro Benites (presidente), Dr. Victor Rocha (vice-presidente), vereadores Dr. Jamal, Tabosa e Dr. Loester como membros. Neste ano, os vereadores já debateram, com a presença de convidados, a adoção de medidas restritivas como forma de conter a transmissão do Covid-19, os impactos da pandemia na saúde mental. Essas discussões iniciaram ainda no ano passado para avaliar as medidas de enfrentamento à Covid-19. As lives são transmitidas pelo Facebook (https://www.facebook.com/camaracgms) ou canal no Youtube  (https://www.youtube.com/camaramunicipalcg) da Casa de Leis.

Milena Crestani 

Assessoria de Imprensa da Câmara Municipal 

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo