Tecnologia

Apple se torna a maior cliente da nuvem do Google

source
Google armazena dados da Apple
Unsplash/Mitchell Luo

Google armazena dados da Apple

Consumir determinado produto de uma empresa rival pode ser algo estranho, mas totalmente possível no mundo dos negócios. Prova disso é a Apple : considerada uma das principais concorrentes do Google , a companhia da maçã também tornou-se a principal cliente de armazenamento em nuvem da empresa de Sundar Pichai, à medida que sua demanda por guardar dados aumenta.

Em setembro do ano passado, a fabricante de iPhones aumentou a quantidade de armazenamento em nuvem nos servidores do Google em 470 petabytes, alcançando um valor total de oito exabytes. Para efeitos comparativos, um exabyte é mais do que o suficiente para armazenar uma chamada de vídeo com duração de mais de 237 mil anos — o que dá uma dimensão da imensidão de dados da big tech .

Já no mês passado, a Apple anunciou que pretende gastar cerca de US$ 300 milhões nos servidores em nuvem de sua rival neste ano. O valor significa um aumento considerável de 50% em relação ao ano passado e torna a empresa da maçã como a principal cliente do Google neste segmento.

Você viu?

Apesar de o valor parecer exorbitante à primeira vista, o investimento é encarado como um ótimo negócio para a Apple. Isso porque, segundo cálculos feitos em um dos sites do Google, armazenar 8 exabytes custaria algo em torno de US$ 218 milhões por mês (ou US$ 2,6 bilhões ao ano). Perto desse valor, os US$ 300 milhões anuais pagos para os serviços de armazenamento em nuvem do Google são uma verdadeira “pechincha”.

Se contabilizado apenas o recorte de armazenamentos, a Apple ganha, com sobras, o posto de maior cliente dos serviços cloud do Google. A ByteDance , dona do TikTok , aparece na segunda posição (em torno de 470 petabytes), seguida por Spotify (460 petabytes), Twitter (315 petabytes) e Snapchat (275 petabytes).

Não se sabe ao certo o motivo de a gigante da maçã não investir em um data center próprio, dada sua alta demanda pelo serviço. É possível que “alugar” memória seja financeiramente mais vantajoso ou mesmo que isso não esteja no planejamento da gigante. Vale lembrar ainda que a Apple também armazena informações nos servidores da Amazon . No entanto, todos os dados são criptografados pela própria companhia, para evitar que as empresas “parceiras” não tenham acesso às informações.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo