BrasilNoticias

Maior parte do incêndio na Chapada dos Veadeiros é controlado

Bombeiros apagaram 16 quilômetros da linha de fogo

O Corpo de Bombeiros de Goiás (CBM-GO), que combate o incêndio no Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros desde a última segunda-feira (28), conseguiu controlar a maior parte das chamas. O trabalho de bombeiros resultou no controle de 16 quilômetros da linha de fogo que seguia na margem direita do rio Preto.

“O trecho controlado representa a maior parte do incêndio que avançava no interior do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros. Na APA [Área de Proteção Ambiental] do Pouso Alto os combates resultaram na redução dos focos de calor. Combatentes permanecem no trecho do rio Preto, em vigilância”, informou o CBM-GO, em nota, no final da manhã deste domingo(4).

Os trabalhos de combate ao fogo estão, agora, concentrados nas regiões dos saltos do rio Preto, povoado da Capela e Mulungu/Morro do Ministro. São 148 pessoas envolvidas no trabalho de combate ao incêndio na área, além de 24 veículos e cinco aeronaves.

Além dos bombeiros de Goiás, também participam da ação o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), o Instituto Chico Mendes de Biodiversidade (ICMBio), a Rede Contrafogo (formada por brigadistas voluntários para combater incêndios na região) e a Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável de Goiás (Semad).

O fogo teve início no dia 25 de setembro, em uma propriedade rural no município de Cavalcante, no interior da Área de Proteção Ambiental do Pouso Alto. A baixa umidade e alta temperatura na região contribuíram para o fogo se espalhar e até ontem (3) o fogo atingiu 34 mil hectares na APA de Pouso Alto (4% do total da área) e 9 mil hectares do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros (3% do total da área).

Por Marcelo Brandão – Repórter da Agência Brasil  – Brasília

Edição: Liliane Farias

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo