MSNoticias

MS está em alerta para calor intenso com risco de morte, avisa Inmet

A situação mais grave deve ser registrada nos municípios do Centro, Norte e Leste do Estado

A forte onda de calor que atinge o Brasil desde a semana passada fez o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitir seis alertas de perigo para Mato Grosso do Sul nesta terça-feira (6). O motivo: umidade relativa do ar na casa dos 10% e temperaturas até 5 °C acima da média.

A situação mais grave deve ser registrada nos municípios do Centro, Norte e Leste do Estado. Nesses locais há perigo de morte por hipertermia – quando a temperatura do corpo humano aumenta até o organismo entrar em colapso.

Devem ficar atentas as pessoas que vivem em: Água Clara, Alcinópolis, Aparecida Do Taboado, Aquidauana, Bandeirantes, Brasilândia, Camapuã, Campo Grande, Cassilândia, Chapadão do Sul, Corguinho, Costa Rica, Coxim, Figueirão e Inocência.

O aviso de “grande perigo” também é válido para Jaraguari, Paranaíba, Paraíso das Águas, Pedro Gomes, Ribas do Rio Pardo, Rio Negro, Rio Verde de Mato Grosso, Rochedo, Santa Rita do Pardo, Selvíria, Sonora, São Gabriel do Oeste, Terenos e Três Lagoas.

A condição extrema do clima afeta a saúde das pessoas. Segundo especialistas, o clima seco, comparado ao de deserto, aliado ao calor intenso causa desconforto nos olhos, boca e nariz. Dores de cabeça, confusão mental, cãibras e desidratação também são causadas pelas altas temperaturas.

Por isso, é necessário consumir muita água e ingerir alimentos leves, como frutas, para amenizar os efeitos nocivos à saúde. Também é recomendado não se expor ao sol e evitar atividades físicas entre 10h e 15h. A atenção deve ser redobradas com crianças, idosos e cardíacos – que são mais sensíveis.

Ao sinal de qualquer situação adversa o Corpo de Bombeiros e a Defesa Civil devem ser acionados. Os telefones de contato são, respectivamente, 193 e 199. As chamadas são gratuitas.

Bruno Chaves, Subcom
Imagem: Inmet

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo