AL MS

PARCERIA DA ALEMS E ENTIDADES GARANTE A ENTREGA DE 40 MIL ESCUDOS FACIAIS

Os escudos são telas transparentes que cobrem o rosto e ajudam a impedir que gotas infecciosas entrem nos olhos

Os escudos faciais, chamados faces shields, são telas transparentes que cobrem o rosto e ajudam a impedir que gotas infecciosas entrem nos olhos, nariz e boca. Uma parceria da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul (ALEMS) com várias instituições, por meio do projeto CoronaVidas, tem garantido a entrega do equipamento aos profissionais que estão na linha de frente do combate ao coronavírus, comunidades indígenas e entidades de acolhimento. 

Na manhã desta quarta-feira (8), os servidores da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul (ALEMS) receberam os escudos faciais. O defensor público-geral, Fábio Rogério Rombi da Silva, e o pró-reitor da Unigran, Vinícius Soares de Oliveira, participaram da entrega dos equipamentos, juntamente com os deputados Lidio Lopes (PATRI), Eduardo Rocha (MDB) e Herculano Borges (Solidariedade).
Eduardo Rocha já faz uso de um escudo facial

“É um projeto de grande envergadura, tendo em vista a escala industrial para a fabricação das faces shields, visando atender os 79 municípios de Mato Grosso do Sul”, destacou Lidio. O defensor público destacou a importância da união das instituições. “A soma de esforços multiplica as ações. Quando vários setores da sociedade se juntam, a capacidade de produzir algo de útil é ampliada. Como a produção atingiu uma escala na casa de milhares, foi possível uma distribuição ampla. Embora as sessões sejam virtuais, têm profissionais atuando no prédio e é importante que eles estejam protegidos. Portanto, procuramos ampliar para os mais diversos setores e comunidades”, explicou.

Serão doados mais de 40 mil escudos faciais. “Apesar de toda essa catástrofe sanitária que estamos vivendo, alguns setores não podem parar. Precisamos oferecer segurança para que os profissionais trabalhem e o restante da população consiga fazer o isolamento. Como instituição de ensino, é importante que os acadêmicos aprendam ações como essas e, que dentro dos seus núcleos, promovam outras que cheguem até a população”, disse o pró-reitor da Unigran.

Geralmente os escudos faciais são usados ​​em conjunto com máscaras, impedindo que gotículas de saliva cheguem ao rosto e dificultando que os trabalhadores toquem no rosto. Eles são duráveis, podem ser limpos e reutilizados repetidamente.

União de esforços

A rede de solidariedade CoronaVidas em Mato Grosso do Sul é composta por mais de 20 instituições e empresas parceiras que trabalham de forma colaborativa, com o objetivo de produzir e doar protetores faciais a profissionais da saúde que atuam na “linha de frente”, e também a outros setores de amplo contato com o público ou de maior risco de contaminação, em todo o Estado de Mato Grosso do Sul.

Conheça o projeto e os parceiros que garantiram a produção dos equipamentos de proteção clicando aqui.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo