MS

UEMS ACOLHE DÁ SUPORTE A QUEM FEZ DO BRASIL SEU NOVO LAR

UEMS (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul) celebra o acolhimento de centenas de migrantes através do programa UEMS ACOLHE. A Universidade tem se destacado no âmbito estadual por suas ações de acolhimento linguístico, humanitário e educacional a migrantes e/ou refugiados no estado, enfatizando a relevância do tema migração e deslocamentos no contexto internacional, nacional e regional, favorecendo a reflexão sobre o que vem a ser uma sociedade que acolhe e que responde a expectativas e a necessidades daqueles que chegam e precisam ser acolhidos, ainda que no campo linguístico mais emergencial.

Dentre as ações desenvolvidas pelo programa UEMS ACOLHE, destaca-se a institucionalização de cursos de Português como Língua Estrangeira: Módulo Acolhimento. Com cursos ofertados para a comunidade migrante e/ou refugiada desde 2017, o Programa atendeu mais de 500 alunos de diversas nacionalidades, nas cidades de Campo Grande, Dourados, Itaquiraí e Nova Andradina.

Para a pró-Reitora de Extensão, Cultura e Assuntos Comunitários (PROEC), professora doutora Márcia Alvarenga, ao comemorar o Dia do Imigrante, a UEMS só tem a agradecer e estar à disposição para atender a esta comunidade de imigrantes. “Nesta data importante do Dia do Imigrante, a PROEC saúda todos os migrantes que escolheram o nosso Estado para fixar residência. Nesse sentido, o UEMS ACOLHE têm atuado em prol do Acolhimento Linguístico, Humanitário e Educacional a Migrantes e Refugiados, auxiliando a tantas famílias. A promoção da interculturalidade é uma marca forte desse programa, que ocorre por meio troca de experiências, de aprendizados, de construção de novas amizades”, enfatiza Márcia.

 Parcerias

Para o atendimento de um número ainda maior de nacionais de outros países, o programa UEMS-ACOLHE busca fortalecer parcerias com agentes já atuantes na área. Para o Reitor da UEMS, professor doutor Laércio de Carvalho, essa é uma característica marcante do programa já que amplia a rede de acolhimento oferecendo amplas possibilidades e demonstrando a preocupação do estado com a população de migrantes. “É um programa que vem sendo trabalhado pela UEMS com o objetivo de acolher da melhor forma os imigrantes que chegam ao nosso país. Em relação ao UEMS Acolhe, é bom destacar que nossa Universidade trabalha em parceria com outras instituições com o objetivo de capacitar os estrangeiros que chegam ao MS. Isso demonstra o quanto o Estado se preocupa com a questão”, pontua Laércio. Na opinião dele, essa iniciativa reforça a importância da UEMS em questões mais amplas e que, por meio da extensão universitária, consolidam o atendimento da instituição à população.

Entre as parcerias estão a Secretaria Estadual de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho (SEDHAST) e a Fundação Social do Trabalho (FUNSAT) de Campo Grande. O coordenador do UEMS ACOLHE, professor doutor João Fábio Sanches Silva explica que a parceria com a SEDHAST foi fundamental para o início das atividades, em especial, por conseguir reunir informações sobre a comunidade migrante e/ou refugiada no estado, além de oferecer o espaço físico para as primeiras turmas, no início de 2017. “Atualmente, a SEDHAST faz o encaminhamento da relação de migrantes e/ou refugiados atendidos, para que eles possam ser encaminhados aos cursos de português e demais atendimentos. Já a parceria com a FUNSAT tem por objetivo trazer oportunidades de qualificação profissional e empregabilidade, a partir de oficinas realizadas junto aos alunos migrantes e do cadastro deles no banco de oportunidades de emprego”, conta João Fábio.

A Pastoral do Migrante de Campo Grande é outra parceira inestimável para o Programa UEMS ACOLHE, segundo João Fábio. A Pastoral é responsável por compartilhar experiências de acolhimento com outras entidades também ligadas a questões de migração e refúgio, já que atua com esta questão há 35 anos.

Para a irmã Rosane Costa Rosa, da Pastoral do Migrante de Campo Grande, o UEMS ACOLHE fortaleceu o atendimento aos imigrantes no estado. “Há 35 anos estamos acolhendo os imigrantes em galpões, escolas. Hoje a o UEMS ACOLHE fortaleceu esse processo com parcerias e ampliação do atendimento”, conta a irmã Rosane.

Outras parcerias e ações de acolhimento estão sendo viabilizadas, como, por exemplo, a assinatura do acordo de cooperação com a Secretaria Municipal de Educação de Campo Grande. Segundo João Fábio, o objetivo é oferecer orientação e acompanhamento pedagógico para cursos de Português para Estrangeiros para os alunos migrantes matriculados na rede pública municipal de ensino, além de oferecer cursos de capacitação e de formação continuada para os professores do município de Campo Grande, que já atuam com esses alunos nas suas salas de aula. Acordo semelhante já fora assinado com a secretaria de Educação da cidade de Itaquiraí, ampliando a rede de acolhimento para além da capital.

Acolhimento na Pandemia

No ano de 2020, com a suspensão das atividades presenciais, devido a pandemia do coronavírus COVID-19, o programa UEMS ACOLHE optou por continuar com atividades on-line voltadas ao acolhimento linguístico a partir de práticas de língua portuguesa. Foram abertas 03 turmas, para níveis distintos de conhecimento do idioma, sendo atendidos por esta iniciativa, aproximadamente, 80 alunos, de diversas nacionalidades e localidades no país.

Emanuelly, UEMS
Fotos: Divulgação UEMS

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo